quarta-feira, 6 de junho de 2018

Doce surpresa - Orissima EDP de Ted Lapidus - Resenha

Em tempos estranhos como esses últimos dias - não sabemos se acompanhamos as notícias ou se fazemos um isolamento voluntário embaixo das cobertas - em que a moeda e o humor oscilam, que a gente precisa de um afaguinho, um Nescau quente e uma pequena dose de autoindulgência para manter a sanidade mental, vem a casa Ted Lapidus, com suas 'bombinhas' que são o maior barato e dão uma alegria inesperada. Tô falando do Orissima EDP, um caramelo querido e quentinho que me surpreendeu positivamente!
A ideia da marca é transmitir a aura da mulher parisiense, para brilhar como a cidade luz, inspirado nos tons de ouro e na arquitetura urbana da Cidade Luz. Com 15 trumpinhos comprei um de 30ml, e voilá, me senti rica, querida e calorosamente abraçada por uma generosa dose de caramelo, com uma íris macia (alô alô La Vie est Belle!) e patchouli achocolatado. Mas pera aí, tem uma surpresa chypre nesse calor todo, uma aura verde/amarga/frutada, então não dá para afirmar que seja um dupe, longe disso. Tem cara e personalidade próprias. 
Não evolui como o La Vie, a coisa toda descansa mais rápido e perde as arestas, além de amornar mais almiscarado e menos gourmand. Fica redondinho e manso, sabe como? Tem uma pontinha de casca de laranja fervida e damasco, que me deu um flash do D&G The One, mas isso já nas horas finais. Fixa legal, menos que outras bombas Ted Lapidus (tô falando de Fantasme, Rumba e cia) mas ainda assim com muita dignidade, coisa de umas sete a oito horas. Projeta bem na primeira hora, e depois se comporta como o esperado para um EDP, quente, rente à pele e relativamente linear.
Frasco bonito, bem feito e planejado com cuidado, borrifador honesto e caixinha resistente. Sem culpa na crise, e muito cheirosa(a)!!! 




Nenhum comentário:

Postar um comentário