terça-feira, 27 de outubro de 2015

O que é do gosto regala a vida - Valentina Assoluto de Valentino - Resenha

"Você sabe o que é caviar? Nunca vi nem comi, eu só ouço falar." Troca o caviar pela trufa - e voilà: vamos na onda de Valentina Assoluto. 
É fino trato, 'o printemps com as unhas', luva de pelica, talheres de prata e livro equilibrado na cabeça. "Senta direito, menina!"
Ah, que alegria um chypre chiquetoso, patchouli abafado - quase uma camadinha de poeira sobre o piano de cauda da sala linda e lustra. Como o casarão que se prepara para a festa de gala, decorada com flores e mais flores e um séquito de empregados corre freneticamente para deixar tudo perfeito: é feliz, mas ao mesmo tempo tradicional. Tem sabor, mas não é o docinho pudim/chantilly, é baunilha em fava, fervida, é iguaria requintada de saborear em pedacinhos, o nobre chocolate amargo, que sente-se às beiradinhas, derretendo aos poucos no paladar. Talvez a trufa, que nunca vi, nem comi - só ouvi falar!
Tem muita elegância, mesmo - uma elegância nata de notas que aos poucos foram caindo em desuso, um musgo que como renda 'veste' delicadamente a pele como há tempos não sentia.
Traz um calor belo e aveludado, rente, que projeta moderadamente, e como EDP bom, classudo e 'assoluto' dura muito. Como boa joia, é investimento.
Imagem: http://uk.parfums.valentino.com

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Musa Fitness - Olympéa Eau de Parfum de Paco Rabanne - Resenha

Abra o Instagram no sábado pela manhã. Vai ter foto da sua amiga tomando cappuccino com bolo na confeitaria #gordice #hojepode #saturday. (Ela usa La Vie Est Belle, aposto!) Rola pra baixo, vai ter um passeio de bicicleta daquele seu amigo gente boa, absolutamente "Ridiculously Photogenic Guy" (Ele certamente usa Invictus na ocasião) #bike #friday #t4l. E o post seguinte será ela, a amiga fitness-positividade-gratidão, que pratica ioga, stand up paddle e slackline. Que posta foto de pôr do sol, de meditação em posição de lótus na beira da praia, que faz californiana no cabelo milimetricamente desgrenhado de turbante, que come crepioca com chia e goji berry no café da manhã... #goodvibes #gratitude #positive. Ela usa Olympéa. Sacou?
Longe de uma visão estereotipada, por favor... É, não gosto dessa coisa "perfume de adolescente" para os frutais, ou "perfume de velha" para os atalcados (amo atalcado, respeita faz favor!), perfume disso ou daquilo. Usa o que te faz bem, afinal você pode ser uma vovó fazendo compras no supermercado feliz da vida e exalando seu Fantasy - tô falando da minha mesmo, acredite! 
Então, e mais além de estereótipos, preciso confessar que o Olympéa me reporta a isso, uma moça gatíssima de batinha à beira da praia.
Percebo uma tendência - de uns anos para cá - da adição de sal nas fragrâncias para deixá-las mais orgânicas, a ideia de maresia, suor mesmo. Começou com o mais que polêmico caviar do Womanity, passando para a laranjinha bittersweet do L de Lolita, o caramelo amanteigado do Reveal... os gourmands encontram esse contraponto interessante.
Olympéa é levemente salgado também, mas de corpo mais frutado, aberto e solar. Não entra no conceito gourmand corriqueiro, de confeito, bolo ou caramelo. É de uma face mais gustativa, tem sabores sim, mas nada que chame formigas. Percebo muito o agridoce entre laranja, gengibre e sal, adicionados a algo saboroso, como figos - não o mesmo figo maduro do Womanity, mas o figo ainda fresco, no pé. Reforçando a ideia orgânica, a nota de fundo que mais se destaca é o ambargris, untuoso. Projeção mediana e fixação de 7 horas na versão EDP, nada bombástico. Mas, ainda que não seja bomba, não recomendo a compra sem teste - Olympéa pode não agradar ao longo do drydown.


Imagem: http://www.pacorabanne.com/fragrances/olympea