terça-feira, 31 de março de 2015

Um jardim secreto - Eden de Cacharel - Resenha

Inocente e pecaminoso? Verde-frutal-incensado? Uma viagem lisérgica, folhosa e erótica? Nada disso faz sentido? Éden também não - mas faz!
É uma sinfonia de notas, da fase pré-purista noventista, um dos últimos bombásticos polêmicos ame/odeie. É impossível passar despercebida com Éden, quem o ostenta chama a atenção, como as enormes ombreiras das coleções de moda da época.

Imagem: http://cacharel.com/fr/collections/eden#!/gamme/eden/eau-de-parfum/eau-de-parfums-pack-etui


O último suspiro barroco antes da onda heroína-chic, quando a opulência foi enterrada e tida como cafona. Mas Eden resistiu, e permanece no posto de perfume clássico, e lá se vão vinte anos!
A propaganda, na proposta da nudez inocente que reinava no Jardim Paradisíaco, algo tão proibido que chega a ser puro, divino. A fantasia de um jardim florido, fértil, cheio de frutas maduras e melífluas - em uma evolução cadenciada, que torna impossível a distinção nota a nota: e nem é essa a intenção, o interessante são as sensações simultâneas, a bagunça que atordoa os sentidos.

Imagem:www.fragrantica.gr

Éden me lembra as florestas dos elfos da trilogia o Senhor dos Anéis, tão belas que chegam a assustar, em seu mistério sombrio e cheio de magia. Galadriel usaria Éden, com certeza.

  http://www.imagozone.com

Uma borrifada sob a roupa, em contato com a pele. É o suficiente para esta viagem, que terá duração gigantesca - dez horas em diante, e projeção ampla.

sexta-feira, 13 de março de 2015

Salsa e Meregue - Far Away Gold de Avon - Resenha

Por quê a associação com os ritmos caribenhos? Porque é quente, dourado, bagunçado e festivo, que no fim das contas se torna fantástico. Alguns megatons florais, doçura de côco e baunilha. Um soco de ylag-ylang. Resultado? Um torpor inebriante/adocicado, que fixa e projeta grandemente, e faz a noitada ficar divertida como em um beachclub. 
Imagem: www.perfumariaavon.com.br

Capricha no vestido e no cabelón, uma borrifada do Far Away Gold - diretamente sobre a pele, porque essa joinha exige calor humano - e se joga na pista de dança. Chamativo, como a flor no cabelo em meio aos cachos negros, o calypso da Gilda de Rita Hayworth. 

 
Ele "fala", gesticula, é bem feito e bem arranjado, mais um dos motivos para apreciar as belezinhas da Avon e se manter perfumada em época de dólar nas alturas. No inverno, deve ficar delicioso! UEPAAAAAA