Silly things - Prada Candy EDP - Resenha

Quando penso em um perfume meio bobinho, não tem como deixar o Prada Candy de fora. Bobo alegre? Pode ser, alegre é mesmo, é doooce (ah, vá dizer... sério?), tem pegada pop, tem frasco fofo e bem desenhado. Mas só! 
Só? Sim, só. Previsível. É isso, caramelo e benjoim. Se estiver calor, o caramelo perde o charme do 'queimadinho', e parece que passa do ponto, como cheiro de calda de pudim que queima e gruda na colher, no fundo da panela - em tudo!
O lado bom é que a projeção é comedida, passados os dez minutos iniciais, e a duração de boas 6/7 horas, ainda que rente à pele. Não é a Formiga-Atômica, o doce mais doce que doce de batata doce, que dá um soco em todos os transeuntes com quem cruza - bobo alegre, porém educado.
Caso sua glicemia exija esse docinho, seja feliz! Mas criativo, ó, não vou poder afirmar que seja! Açucarado, festeiro e caramelado? Hummmm, acho que vou de Aquolina e suas variações Sugar. Prada Candy dispensei!
Gostou do Prada Candy? Conta aqui!!!

Imagem: www.prada.com



Este post contém link do parceiro Glio (www.glio.com)

Comentários

  1. Deus do ceu Pink Sugar é um delirio...
    acho o candy mais bonito (nao em mim claro :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bonito, mas acho tão bobinho (Jayne Mansfield define?). O mérito dele talvez seja: o fundinho de talco que a Prada está tornando sua marca registrada. Sério, posso parecer meio maluca, mas no drydown aparece um toque do talco prá lá de especial que me encanta no Infusion D'Iris.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Amor nos tempos de Crise - Pur Blanca da AVON - Resenha

Perfumes “Tester” ou “Demonstration”

Império dos Sentidos - Natura Una Senses Deo Parfum - Resenha