quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Silly things - Prada Candy EDP - Resenha

Quando penso em um perfume meio bobinho, não tem como deixar o Prada Candy de fora. Bobo alegre? Pode ser, alegre é mesmo, é doooce (ah, vá dizer... sério?), tem pegada pop, tem frasco fofo e bem desenhado. Mas só! 
Só? Sim, só. Previsível. É isso, caramelo e benjoim. Se estiver calor, o caramelo perde o charme do 'queimadinho', e parece que passa do ponto, como cheiro de calda de pudim que queima e gruda na colher, no fundo da panela - em tudo!
O lado bom é que a projeção é comedida, passados os dez minutos iniciais, e a duração de boas 6/7 horas, ainda que rente à pele. Não é a Formiga-Atômica, o doce mais doce que doce de batata doce, que dá um soco em todos os transeuntes com quem cruza - bobo alegre, porém educado.
Caso sua glicemia exija esse docinho, seja feliz! Mas criativo, ó, não vou poder afirmar que seja! Açucarado, festeiro e caramelado? Hummmm, acho que vou de Aquolina e suas variações Sugar. Prada Candy dispensei!
Gostou do Prada Candy? Conta aqui!!!

Imagem: www.prada.com



Este post contém link do parceiro Glio (www.glio.com)

2 comentários:

  1. Deus do ceu Pink Sugar é um delirio...
    acho o candy mais bonito (nao em mim claro :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bonito, mas acho tão bobinho (Jayne Mansfield define?). O mérito dele talvez seja: o fundinho de talco que a Prada está tornando sua marca registrada. Sério, posso parecer meio maluca, mas no drydown aparece um toque do talco prá lá de especial que me encanta no Infusion D'Iris.

      Excluir