sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Receita de Bolo - Eau des Missions de Le Couvent des Minimes - Resenha

Uma vez, na cozinha fazendo madalenas, eu derramei baunilha Dr. Oetker no braço (tá, no braço, no cabelo e na pia inteira) e pensei: "por que não fazem um perfume de baunilha, e só baunilha? Seria um sucesso". Pois a Le Couvent des Minimes teve essa ideia - e deu certo!
Mas vamos a todo o conjunto dessa ideia: frascos que vão de 30 a 500 ml, apresentação com carinha artesanal, um apelo de conforto e bem estar, quase medicinal e, no meu caso, a palavra 'missions' - que tem a ver com a minha tese, mas não pretendo falar disso aqui, porque né, ninguém merece! hahaha
Faça assim: tome um banho, borrife Eau des Missions no corpitcho, e sinta-se um bolinho da vovó, recém saído do forno. Pronto, uma auto-indulgência terapêutica que resolve qualquer chateação!
Eau des Missions é a uma baunilha alcoólica, doce como calda de pudim ainda quente, ou para ser mais exata ainda fervendo na panela. Segundo a marca, consiste na combinação de Baunilha, Centelha Asiática, Mirra, Benjoim e Chá Verde, em uma fórmula revigorante e reconfortante. Baunilha e Benjoim predominam, acredito que as ervas dão a sensação mais transparente, de um caramelado vítreo, e não cremoso, realmente alcóolico. Isso que torna essa água de colônia tão especial, um prazer adulto, um cochilo de pijamas no meio da tarde.

 Imagem: http://br.lecouventdesminimes.com/água-de-colônia-eau-des-missions

Lógico que depois de comprar a de 30ml, encomendei uma de 250ml, e completei o trio da Le Couvent des Minimes. Para quem mora aqui na 'jungle', tem na Diana da Marechal Floriano, mas as vendas online também funcionam certinho - já testei.

NOTA - Esse não é um publipost, as informações aqui passadas baseiam-se em experiências pessoais de compra.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Maçã do Amor - La Tentation de Nina - Nina Ricci - Resenha

Já falei de Maria Antonieta nesse post... Mas quando senti o La Tentation de Nina, não resisti à referência, da Maria Antonieta pop e coquete vivida por Kirsten Dunst. Por que será? 
Nas cenas do filme, entre sedas e brocados, vestidos e sapatos, jogatina e penteados, surgiam confeitos lindos, super coloridos. Dessas guloseimas, diz-se que os macarons eram um pedido da dauphine ao confeiteiro de Versailles, para matar a saudade dos biscotinhos de amêndoa que saboreava durante sua infância na Áustria. 


La Tentation de Nina consegue captar o cheirinho do macaron (em uma estrelada parceria com a patisserie Ladurée), de forma muito fiel - um viva para a novidade no mundo gourmand, que agora pode sair do trio baunilha-chocolate-cupcake!
As notas de entrada são cítrico-açucaradas, na mesma vibe do Moschino Cheap and Chic I Love Love e Dolce Gabbana Light Blue, o que dá uma ponta de esperança de usar um docinho, ainda que no verão. Segue em frutas vermelhas, framboesa e tintura de rosa, levemente sour, para terminar na amêndoa em pó - matéria prima do mimoso macaron. O fechar das cortinas é a mistura dessa amêndoa com o almíscar limpinho, o que faz o LTDN bem comportado. 
Perfume fofo, para tomar sorvete com as amigas à tarde, passear no shopping e usar vestido em tom pastel... Não que seja bobo, simplesmente tem dias que você não está naquele mood Ange ou Démon ou Midnight Poison, exercitando toda sedução. Aí fica o paradoxo, o nome é tentador sim, só que no sentido gustativo e não de sensualidade propriamente dita - mais uma das delicinhas de limão, açúcar e "todas as coisas boas do mundo" de Oliver Cresp. So cute!

 Imagem: www.ninaricci.com

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Parfumée vai à Gramado

Gramado é uma cidade linda, amo de paixão... tudo tão perfeitinho, bem cuidado, parece que a qualquer hora vão desmontar tudo e guardar numa caixa (alô Foz do Iguaçu, vamos aprender um pouco de know how turístico com Gramado?). No verão sem cabimento que estamos vivendo, a escolha de férias foi a serra, também para fugir da cafonice e tumulto beira-mar - para ter uma ideia, só vi uma única criatura de "pau de selfie" em punho, ô alegria! 

O que mais me empolgou foi a quantidade de perfumes artesanais que encontrei por lá, lojas de cosméticos e spas locais assinam suas próprias fragrâncias, que viram verdadeiros souvenirs. Vou falar de quatro lugares bacaninhas que achei por lá, e lógico, não resisti e trouxe uns frascos na mala! 

Clinipel Empório e Spa
Além do spa, tem a lojinha para comprar os produtos usados nos tratamentos (no Largo da Borges). Me joguei nos sabonetinhos e shampoo, mas fiquei curiosíssima com a fragrância da casa, chamada "Amnésia". Sim, Amnésia.
Caldo de laranja, grenadine, um bocadinho de tuberosa e fundo amadeirado. Tem algo do GAP #821 Coconut Tuberose, mas com mais cara de drink - deve ser o grenadine, que o deixa mais borbulhante e farrista. Será que a Amnésia é do pileque?

Le Jardin
Um campo de lavandas particular, com mudas de flores, plantas e produtinhos fofos para vender - e o melhor appfelstrudel do sul do mundo! Lógico que catei uma cestinha e saí pela loja como se não houvesse amanhã: AMO LAVANDA!!! Foi sabonete, óleo essencial, água de lençol, perfume, body splash... #aloka
Mas vamos falar de perfume, que é isso que interessa. Tem esse Eau Fraiche Parfumee de Lavanda (só lavanda, nada mais) que é super calmante, com o aspecto levemente "empoado" e adstringente da própria planta. 
 

Também tem body splashes - escolhi o Basilic (manjericão, manjericão e mais manjericão!) e o Verveine (verbena com limão siciliano). Dez graus a menos em dois segundos!



Enfim, passei uma manhã lá, no meio de lavandas, flores e - abelhas! Quem me conhece sabe meu pânico de abelhas (e a consequente fobia de campos de flores, arranjos, jardins, lixeiras). Então, posso considerar minha ida ao Le Jardin uma superação pessoal.

 









Kur Cosméticos
Linha de cosméticos usada nos deliciosos spas Kurotel e Kur Estação de Águas, é aquele lugar que reúne graça, riqueza e condição. Sabonetes finíssimos (já repararam que entre as minhas manias de velha, estão os sabonetes, né? Sim, eu amo!), toalhas e roupões macios, e... uma deo-colônia floral amadeirada perfeita, rica como toda a linha Kur, com um aroma dourado "bling-bling". Apenas uma observação: poderia durar mais. (Mas nem adianta o mimimi porque é deo-colônia, né?)
Fragram
Com o mote "Museu do Perfume" a Fragram conquista de cara a simpatia de quem está turistando pela Serra Gaúcha. Um filminho explicativo exibido a cada 20 minutos, as demonstrações de algumas técnicas de extração de essências, e três prateleiras abarrotadas de grandes sucessos da perfumaria - clássicos, modernos e descontinuados justificam a visita. Não é um local grande, mas o casarão tem seu charme.


A Fragram tem produção própria de algumas fragrâncias - dentre as quais comprei o Gioia de 50ml, o T, o Ragazza e o Bella em flaconetes de 9ml. O Gioia é declaradamente inspirado no Chanel nº 5, suavizado pelo fato de ser deo-colônia, ter menos neroli e civeta. Ganha um ar levemente "talquinho", e fica bem usável no outono do sul. O T é o Dolce & Gabbana Light Blue versão tupiniquim. O Ragazza e o Bella ainda estão em estudo.


Bom, a mala voltou cheia de perfuminhos nacionais, cada um com seu charme, e, ainda que pequem em durabilidade, acredito que dar uma chance e conhecer a produção local é bacana, um incentivo para que sejam aprimoradas. De todas, a Deo-Colônia Kur é a minha favorita, mas a Lavanda do Le Jardin merece elogios também, até pela proposta de pureza - lavanda sem outras adições.
Ah! E essas quatro lojas têm e-commerce também, se quiser é só garimpar que acha!


PS - Novamente, esclareço que este não é um publipost. Todos os produtos foram adquiridos por mim durante a viagem.


quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Sempre à mão: Jeans, Pretos Básicos e um Perfume

O tema deste mês foi sugestão do Cris Bazoni, do blog Odorata Parfums... Adorei! Tem coisa melhor que aquele perfume cheio de conforto, que "veste" a gente com carinho? Aquele que assim que a gente abre o armário quase pula da prateleira? Esses são os meus escolhidos pra ilustrar a mesa redonda dos blogs mais perfumados do Brasil! 

Pretinho básico? Seria o La Petite Robe Noir, da Guerlain? Não... Acho o LPRN muito cerejinha, muito melecadinho... 
Jeans? Versace Blue Jeans é uma boa pedida: jovem, bacaninha, cool e noventinha, mas ainda não é disso que vamos falar. O assunto aqui serão duas fragrâncias "pau para toda obra", que encaram desde a reunião de trabalho ao happy hour, e, se precisar, esticam na festa ou balada que pipocou no seu WhatsApp de última hora! Coisa fina, prática e deliciosa, tem como não gostar? 

Boss Ma Vie Pour Femme - Hugo Boss

Um terno preto alinhado, cabelo que amanhece bom, bolsa estruturada que cabe o mundo... Arrumado e elegante sem ser pretensioso, gente que acorda bonita sem esforço. Nada arrebatador, mas ao mesmo tempo não é óbvio, uma interpretação da frésia fora do juvenil insosso, jasmim em dose equilibrada e drydown amadeirado. É como uma camada de máscara para os cílios: sem ele, tem algo faltando!
Gosto da efervescência inicial, para começar o dia, ajuda a dar uma despertada, além da ausência de qualquer apelo gourmand, o que o torna ainda mais versátil e usável. Surgiu um compromisso? Retoca e não perde a pose! 




Dior Addict Eau de Toilette - Christian Dior
Outro da linha fina/chic sem afetação... Floral bom, bem elaborado, o início cítrico tem um toque do J'Adore aí, é só dar uma procurada. Feminino e classudo, faz bonito em qualquer ocasião e estação. 



E você? Qual seu pretinho básico em forma de perfume? Conta aqui nos comentários!