quarta-feira, 2 de julho de 2014

O ícone - Chanel nº 5 - Resenha

Quando uma história é contada muitas vezes, vai ganhando aquela aura de lenda, em que já não se sabe mais o que é verdade e o que não é... Chanel nº 5 é lenda, é icônico, um divisor de águas na história da perfumaria, que se confunde com a própria biografia de Coco Chanel. "Um perfume com cheiro de mulher", é o que se conta do seu pedido ao perfumista Ernest Beaux, que mistura o otimismo pelo fim da 1ª Guerra Mundial, a infância triste em orfanatos, a juventude na boemia parisiense - cantando "Mon chien Coco" - a rejeição de seus amores e da sociedade pela falta de sangue-azul. Esta complexidade de sentimentos está expressa no famoso nº 5.
Nada traduz mais a alma feminina, em suas oscilações de humor, em sua vontade de ser admirada, parecer limpa e imaculada para a maioria e sedutora para poucos...
A abertura em aldeídos preenche o ambiente. Atualmente o aldeído tem cara de 'antigo', mas tendo em conta que a fórmula está prestes a completar um século, imagine o quanto inovadora não foi a descoberta deste componente capaz de destacar o aroma floral. Flor de laranjeira e limão verde a deixam cítrica e limpa, clara como espuma de sabonete, traduzindo a obsessão de Madame Chanel pela limpeza (obsessão essa adquirida no orfanato de freiras no qual cresceu).
Para dar corpo, a delicadeza das rosas e a opulência quase erótica do jasmin, contornada por lírios em profusão, naquela sensação de arranjo de flores sobre a mesa do vestíbulo: intimista e lindo de ver. E ao final, para humanizar, trazer o calor da 'mulher de verdade', uma combinação estratégica entre âmbar, patchouli, baunilha e civeta, que aproxima ao toque e recende a carinho de pele. 


www.chanel.com/pt

Falar mal de Chanel nº 5 é quase igual falar palavrão: deselegante e desnecessário. Se o legal agora é ter cheiro de mingau ou chiclete, ok... mas compreenda um contexto! Imagine, nos anos 20, uma Europa efervescente, uma estilista em busca de sucesso e ascensão, uma época em que cosméticos eram preciosos, e os perfumes usados às gotinhas. 
PS - Se Marilyn o escolheu como 'pijama', é porque alguma (ou muita coisa tem)! E Marilyn jamais estaria errada!

2 comentários:

  1. Este é, sem dúvida, uma lenda!! Show!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carla! Quase um século de sucesso... tem sua razão de ser, não é mesmo? Ah! O seu pedido do Madeimoselle Ricci tá anotadinho, ok? Beijos

      Excluir