terça-feira, 20 de maio de 2014

Na terra encantada - Elle L'aime de Lolita Lempicka - Resenha

Lolita Lempicka é tudo de lúdico: frascos delicados, que parecem ter saído dos contos de fadas, elementos gustativos e aromas inusitados (o L de Lolita tem cheiro de mar pela manhã, impressionante!). O Elle L'aime vai nessa onda lúdica também, mas tem maior pegada comercial. O frasco é mais prático e manuseável - ao contrário do estranho spray no topo da maçãzinha do Lolita Lempicka EDT - tem ótima presença e apelo na prateleira, sem perder, contudo, a identidade visual característica.
O aroma é bem construído, música de poucas notas, escolhidas e combinadas. A entrada fresca de flor de laranjeira é delicada, complementada com limão - não em casca, mas em sumo de limão maduro, que não é um cítrico necessariamente ardido, é quase limonada. Para trazer calor, adiciona-se côco tostado, sem aspecto "piña colada", é quase aquele coquinho em lascas que vende em barraquinhas. Não dura muito (duas horas, talvez), mas densifica a entrada e prepara uma boa transição para a baunilha de fundo, que lembra mingau quente. A jogada de mestre foi a adição de mirra, que enobrece a fragrância e traz um quê requintado.
O público-alvo é jovem, e disso a 'brand' Lolita Lempicka entende - por isso a festa de sabores divertidos. Projeção inicial média, ótimo para estações de transição, e duração muito boa, embora próxima à pele. 

(Resenha a pedido da Anna Luiza, que acredito estar muito feliz com seu Elle L'Aime!)

Imagem: www.parfumslolitalempicka.com

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Just like an Angel - Angel de Thierry Mugler - Resenha

Se você é formigona/formigão, que adora os lançamentos açucarados da atualidade, deve muito ao Angel! A ideia de sintetizar o aroma do algodão-doce (e aqui me vem a imagem da Katy Perry na capa do álbum "Teenage Dream", numa nuvem rosa, entre o sexy e o angelical...) foi por causa das ideias malucas e comestíveis de Thierry Mugler, que queria um cheiro de "Parque de Diversões"! 
O frasco é lindo, e volta meia é redesenhado (o que dá uma certa vontade de colecionar!) e a angel-propaganda substituída. Desde Eva Mendes, a Naomi Watts e a modelo-ícone dos anos 80/90 Estelle Lefebure. Em comum, todas estão entre cristais e estrelas, no alto de um arranha-céu, de olhar longínquo e sonhador. 
Indo contra a maré purista do início dos anos 90, Angel é complexo, combina muitas notas: flores, frutas, madeiras e sintéticas - com pesos e evaporações diferentes, o que causam aquela sensação: gostei! espera, não gostei... mas hein, é ótimo! hummm muito doce... opa, que cheiro bom!  E assim vai mudando, a cada fração de hora.
Portanto, como toda invenção TM, tome cuidado: não compre no escuro, não compre só por achar que ficou ótimo na amiga, e não se baseie somente no blotter - passe, vá testando a cada meia hora, e se acostumando com a evolução complexa, que vai do puro açúcar ao patchouli - para só então considerar a compra.
Angel é meio estereotipado, coitado... tem gente que sequer o testou e entendeu de verdade e já condena: muito doce! Um horror! Mas na verdade, ele é um incompreendido! O problema é que é uma fragrância que exige 'savoir faire', não deve ser usado durante o dia quente de verão ou no escritório lotado. O etil-maltol vai explodir, o côco vai recindir absurdamente, e o pobre Angel será mal interpretado. Ele combina com a noite escura, que pede uma estrela brilhante ou um dia ranzinza de inverno (momento nerd: quase a luz de Elendil, sabe?).
Fixação incrível: 10 horas ou mais, e muita projeção. Use com cautela, ou irá transformar o Angel em um 'devil'... 

(Essa resenha foi a pedido especial da linda Fran!)


Imagem: www.muglerusa.com

Este post contém link do parceiro Glio (www.glio.com)

segunda-feira, 12 de maio de 2014

Garoto Nacional - Lily Essence O Boticário - Resenha

Palmas para esse brasileirinho (que conheci pela amiga-conselheira Andrea)... Para os órfãos das antigas obras-primas d'O Boticário (quem conheceu Kalanit, Annette e Touareg sabe do que estou falando) ele pode ser um alento. Cremoso, acho que esse é o adjetivo perfeito. Um bouquet de lírios cremosos, que seguram a onda pelo método de extração do óleo pelo processo de enfleurage. É floralzão, não tem açúcar, já para avisar. Mas tem complexidade, tem frasco bonito, tem apelo comercial, por assim dizer. Para quem gosta de montar o kit, tem linha completa, mas alguns itens não têm fidelidade total ao perfume, ok?
Ele combina bem com fim de tarde, reuniões de negócios...  aquele momento em que é preciso estar composta e bem arrumada. Lenços bonitos, camisa de seda, cabelos alinhados, o Lily Essence tem essa pegada elegante. 
Como EDP nacional, acho que ele cumpre seu papel com dignidade. Custo/benefício bom, mas, se não quiser arriscar, começar com a versão roll-on de 10ml pode ser uma opção.

Fixação de 5 a 6 horas, projeção mediana (se usado com bom-senso!) 

Imagem: www.oboticario.com.br

PS - Uma dica: apesar do charme, o borrifador vintage acelera a evaporação e oxidação da fragrância. É melhor utilizar o spray normal, que vem junto com a embalagem! ;)