terça-feira, 15 de abril de 2014

Vamos fazer um filme? - Cinéma YSL - Resenha

Atendendo ao pedido da Thalita pelo Instagram, vou fazer a resenha de um perfume "querido": o Cinéma, de Yves Saint Laurent.
Sou suspeita para falar de YSL, porque minha paixão vem desde o Opium (ai, o frio está chegando, e um dos poucos motivos que aprecio no inverno é poder usar o Opium sem receio!), passando pelo Rive Gauche, e uma grande simpatia pelo recente Manifesto. Mas, vamos ao Cinéma?
No cinema a luz não pode ser forte, e a maior falta de educação é ficar falando alto durante o filme, certo? Deve ser por isso a discrição refinada do Cinéma, ele fica rente a pele, em uma projeção comedida e calculada de flores claras, como peônia, cyclamen e amarílis. Nas primeiras impressões tem um caráter cítrico, talvez laranja, ou a menos ácida toranja, e, passada a primeira ou a segunda hora, um toque de flor de amêndoas e baunilha, mas não a baunilha "sticky", é levemente crocante - seria a pipoca doce para acompanhar o filme? E assim persiste, beirando o adocicado, aquecido por um pouco de âmbar e almíscar branco durante umas seis horas. 
Há quem reclame da durabilidade baixa, e, se a pele tiver tendência alcalina, realmente ele persistirá por umas quatro horas, já que não tem tantos elementos resinosos de fundo, contando com flores menos oleosas. Contrariando a maioria, não consigo considerá-lo oriental, e sim um floral "cremoso", por assim dizer.
Mas não é uma sessão de estreia de blockbuster, em que a meninada está eufórica, e sim  uma sessão especial de projeção de lindos e glamourosos musicais, de Fred e Ginger dançando "Cheek to cheek" em preto e branco, entre smokings e estolas de pele - Cinéma merece aplausos, sim! Já comprou suas entradas?

Heaven, I'm in heaven...  




Imagem: http://www.yslbeautyus.com