quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Hot Couture de Givenchy - Resenha

Ai que saudade do tempo em que não imperava o politicamente correto! De quando se ia para a balada, se esbaldava, voltava de maquiagem borrada, pés doendo de tanto dançar, e cheiro de fumaça de cigarro impregnado na roupa e no cabelo. (Não, isso não me incomodava!)
Agora está tudo tão asséptico: motorista da rodada, proibido fumar, ar-condicionado para não estragar os cabelos das madames... Soooo boring! 
Pelo menos tem o Hot Couture para me consolar! 
Ele tem uma entrada cítrica, azedinha, de limão e laranja. Passa rapidinho por um vetiver, magnólia e framboesa, e quando chega no ápice, torna-se uma pimentinha ardida e audaciosa, para terminar em um sândalo crepitante com tabaco. Dançou, causou, e agora volta, lindamente descomposta, para casa. 
É elegante e divertido, não é para o tipo baladeira que dá vexame... Fica ali, umas horinhas, brincando com as pedrinhas de gelo e bebendo aos golinhos um whisky, até chegar a hora de arrasar na pista. 
Fixação e projeção respeitáveis, nada intrometidas, fazem dele uma opção jovem e interessante.


Nenhum comentário:

Postar um comentário