sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Eu sou rica! Rica! - Lady Million de Paco Rabanne - Resenha

Eu sei, eu sei... em tempos de Rei do Camarote, champagne que pisca, pisca, pisca e funk ostentação, Lady Million será o retrato de uma época. Mas de momento, ele é a nova-rica, e poderia muito bem ser chamado de "Lady Kate" (a personagem hilária da Katiuscia Canoro). Por quê? Pega a neosa (porque vai dar dor de cabeça) que eu te explico: seria pelo frasco dourado, escandaloso? Pelo neroli espalhafatoso e pelo mel viscoso - que gruda, como voz melosa? Pelo nome kitsch que caracteriza o par "Million"? (lembre-se que o masculino tem o formato de uma barra de ouro, que vale mais do que dinheiro - Maôeeee Silvio!)
Desculpe, eu antipatizo com ele. Nada pessoal, questão de princípios. Como boa perua, ele grita, usa oncinha com scarpin de verniz vermelho, carrega um chihuaha na bolsa - de grife, porque é rica, não esqueça - e gesticula no elevador. Até tenta uma elegância, com uma florzinha de laranjeira, mas é tão coadjuvante, como aquele arquiteto de bom senso que recomendou não misturar moldura rococó com espelho na sala. Mas não adianta, o negócio é causar. É gritar e dar risada, estourar champagne no camarote da balada mais in da cidade, competindo com o 212 Sexy da "inimiga" ao lado. 
Desculpa querida, nem um milhão consegue comprar elegância! Peça uns conselhos sobre comportamento para o sábio Calandre... aquele sim, tem berço!

          O casal novo-rico!

Este post contém link do parceiro Glio (www.glio.com.br) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário