sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Pura Frescura - Double Fraicheur de Molinard - Resenha

Esse perfume é minha paixão... coisa linda, cristalino e gelado como água de cachoeira. Já falei dele em outro post, mas não resisti a uma resenha própria para esse fresco-fresquíssimo, porque no verão é a melhor pedida. Deve ser a minha proximidade com tanta natureza, mato, floresta e as mais lindas cachoeiras do mundo, as maravilhosas Cataratas do Iguaçu.
Quem conhece esse lugar fora de série sabe do que estou dizendo, a energia gigantesca que tem lá, a vontade inexplicável de abrir os braços e ficar sentindo a névoa úmida que forma inúmeros arcos-íris*, o barulho ensurdecedor da água... árvores, muitas árvores em volta, e aquele cheiro de terra molhada, do musgo da margem. Sorry, Niagara Falls, sou mais as 'minhas' Cataratas! (E só aqui tem quatis fofos que dá vontade de levar para casa!)
Imagem: www.travel-southamerica.com


Pois essa névoa de cachoeira foi devidamente captada pela casa Molinard, e engarrafada no Double Fraicheur. De início, bergamota - não tangerina, nem ponkan, nem murgot, nada alaranjado ou maduro - mas sim aquela frutinha que conhecemos como mexerica, de casca bem fina, que espirra seu líquido e exala de longe, super verde e azeda. É desse cítrico que estou falando.
Segue um maço de ervas, vetiver, capim e taboa. A taboa não aparece na pirâmide olfativa, mas tem algo dessa planta de charco, no mesmo estilo de 'Un Jardin sur le Nil' da Hermès, aquele vaporzinho do rio quando está amanhecendo. Simplesmente sublime. 
E, por fim, um patchouli terroso, bem natural, quase assexuado, mas muito bem feito, até porque a intenção do Double Fraicheur é ser uma fragrância compartilhável. Cheiro de raiz de planta recém colhida, um patchouli digno dos banhos-de-cheiro. 
É um refrescante cheio de personalidade, nada 'songa-monga', que é feito para ser sentido, percebido e apreciado. É a minha segunda pele no verão!
Fixação boa, para uma proposta refrescante (6 horas, em média) e projeção moderada. 

 Imagem: http://www.molinard.com/en/familles/the-freshness.48.html

* Ainda que ache super estranho, esse é o plural de arco-íris...

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Mesa Redonda - O Aroma da Realeza: príncipes, princesas e perfumes

O tema da mesa deste mês foi de minha escolha, e entre as três opções que apresentei, essa foi a vencedora. Estou muito feliz com o resultado, porque mais uma vez vou conseguir mesclar história e perfumes, o que me deixa duplamente apaixonada!
Escolhi cinco rainhas, que me fascinam quando folheio os livros e pesquiso sua trajetória, pois foram polêmicas, apaixonantes e diferentes de um ideal de obediência. Tento imaginar o aroma de seus aposentos, de suas vestimentas, o rastro de nobreza que deixavam pelos palácios... Assim, associei um perfume atual para cada uma dessas princesas e rainhas que fizeram história, já que não conseguimos saber ao certo o que estava na penteadeira de cada uma delas.

Valéria Messalina (Imperatriz de Roma - +/-18d.C./38 d.C)


Messalina era toda devassidão e luxúria, e não era segredo para ninguém que ela aprontava todas pelas ruas escuras de Roma sob a alcunha de “Loba”. Casada com o Imperador Claudio, idoso, manco, cego de um olho e que babava, a jovem e linda Messalina, entediadíssima, começou a aprontar. No início era só por farra, mas a coisa saiu de controle, e com o passar do tempo suas estripulias ganharam proporções perigosas – o que lhe custou a vida. Que perfume será que Messalina escolheria para suas noitadas de farra? Não consigo pensar em outra coisa senão o Dana Tabu, com toda sua proposta sexual, animálica (ainda que sintetizada na atualidade), e a pretensão de ser um “aroma de alcova”.




Teodora de Constantinopla (Imperatriz de Bizâncio - Império Romano do Oriente - 500/549)


Por este mundo já passaram muitas imperatrizes, rainhas consortes e primeiras-damas, mas existiu Teodora, e nunca haverá outra como ela. Ela fez de tudo para ser imperatriz: TUDO. Ela fez mudar as leis bizantinas para que atrizes (meretrizes?) pudessem casar com imperadores, ela pôs fim em uma revolta sangrenta que seu marido Justiniano não conseguiu controlar sozinho, ela foi de pobre miserável à santa venerada pela Igreja Ortodoxa. Ela é a minha aula de história favorita, por ser uma personalidade intrigante, cheia de nuances: ora doce, ora maligna, mas sempre muito determinada. Pelo nome, pelo contexto e pela personalidade Teodora adoraria o Rochas Byzance, a obra-prima da perfumaria, carregado de nobreza e complexidade, para quem faz questão de não passar despercebida. 




Catarina, a Grande (Czarina da Rússia - 1729/1796)


A czarina de todas as Rússias, polonesa de nascimento, tinha muito mais tino para o governo que seu marido Pedro. Representante maior do movimento conhecido como “Despotismo Esclarecido”, Catarina era amiga de correspondência de Voltaire, e entusiasta do Enciclopedismo. Também era conhecida por seus inúmeros amantes, que seguidamente recebiam presentes para lá de generosos (propriedades, servos, pensões, títulos). Alta, de grande presença, diz-se que ela mesma desenhou algumas de suas joias, e era fã da arte da montaria. Catarina tinha tudo a ver com o opulento e marcante Paloma Picasso: forte e decidido, que de cara já dá o seu recado. 


 
  
Maria Antonieta (Rainha de França e Navarra - 1755/1793)



A dauphine austríaca da França, que viveu cercada de todos os luxos e cerimônias de Versailles, angariou a raiva da população por gastar tanto com seus inúmeros vestidos de tafetás e brocados, finos confeitos, festas, perfumes e vaidades. Tédio? Talvez. Mas o deslumbramento pelo choque entre a sua origem – uma corte austera, organizada de perto por uma mãe severa - e o fausto do Palácio do Rei Sol, (além das loucurinhas de Paris!) certamente contribuíram com o comportamento extravagante dessa controversa rainha. Embora Marie Antoinette tivesse um perfumista à disposição (Jean-Louis Fargeon), ela com certeza se apaixonaria pelo Quel Amour, de Annick Goutal, docemente frívolo e encantador... como ela!





Princesa Isabel (Princesa Imperial do Brasil - 1846/1921)



Preparada a vida toda para ser a rainha que nunca foi. Culta, inteligente e bem educada, a mais querida princesa brasileira tinha ideais liberais, e já se preocupava com a questão da escravidão desde jovem, tanto que a Lei do Ventre livre teve sua influência, e a Lei Áurea foi assinada em sua regência. Chamada de “Princesa das Camélias”, uma vez que esta flor, na cor branca, era o símbolo da luta abolicionista, Isabel adorava a camélia em estampas, joias e broches. Partindo do aroma da camélia, lembro do Lanvin Arpège – que depois do choque do aldeído traz toneladas de camélias e flores brancas, e acho que 'casaria' bem com a Princesa Isabel: Nobre, impetuoso, ainda que incompreendido...
 
 Outros devaneios perfumados você também vai encontrar nesses blogs aqui:

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Pé na Porta! - Red Door de Elizabeth Arden - Resenha

Beth, senta aqui e vamos bater um papinho: você é esperta para chuchu! Para quem quer uma aguinha gostosa para o verão? Green Tea e todas as suas variações! Para quem quer um curinga dia-a-dia? Provocative Woman, True Love, Sunflowers. Mas para quem quer 'chegar chegando', tem uma obra-prima oitentista: Red Door.
Elizabeth Arden lançou as fragrâncias associadas a seu spa com um trunfo: fixação garantida por 24 horas. Mas com Red Door isso não acontece... A duração é de umas 48 horas!!!
Um bouquet floral intenso, mergulhado em calda de ameixas: orquídea phalaenopsis, frésia e rosa branca - em toneladas! Mas, e o segredo para a duração gigantesca? Mel, sândalo e benjoim, uma base poderosa, que 'amarra' toda essa orquestra.
Se quer fazer  linha discreta, pense em outra opção... Red Door é vestido de gala, transforma qualquer jeans em um black tie. É perfume-mulherão, para quem sabe o que quer, e sabe a que veio. Não faz a linha garotinha maliciosa, que faz joguinhos de sedução, esse perfumão é para quem chega arrastando o boy pelo colarinho. 
É digno de assinatura olfativa, de usar para a vida toda - merece aplausos em pé!
Nem preciso repetir: fixação e projeção expressivas, por horas e horas, mantendo a qualidade do início ao fim do dia, independentemente de pH.


Imagens: http://www.elizabetharden.com/red-door/html

A primeira imagem, é a atual embalagem, com frasco redesenhado. Na segunda imagem, o primeiro design do frasco, com a linda Catherine Zeta-Jones (garota propaganda favorita EA), personificando o espírito Red Door.

Resenha dedicada à Carol, que adora luxo e glamour, e seu Red Door que alegra meu dia!

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

It's Britney, bitch!!! - Fantasy de Britney Spears - Resenha

Como eu sempre digo: "Ah, a polêmica Britoca..." 

Sagitariana como eu (ela do dia 2/12 e eu do dia 5/12 - amanhã!), Britney é a personificação de uma geração - não que sejamos parecidas, sou muito mais 'boring' que a princesa do pop!
Já foi adolescente sapeca, bombshell, mãe de família... lascou um beijaço na Madonna, raspou o cabelo, foi ao fundo do poço e deu a volta por cima. Ou seja: ela causa! Além do mais, tem um timing comercial fora de série, e é aí que entra o Fantasy: um sucesso de vendas que merece estudos acadêmicos e mercadológicos.
É impossível andar na rua, seja em janeiro a 40ºC ou em junho a 0ºC - e não esbarrar com alguém usando o dito cujo. Ele traduz a geração Y com maestria: birra, manha, quero porque quero, olhem para mim, manhêêê traz um Toddy?, carência, doçura e uma vontade enorme de ser teenager para sempre... Responsabilidades? Ah, me deixe, hoje eu só quero devorar um cupcake com baunilha, me lambuzar e ser feliz! 
O chefe passou uma bronca? Nada que uma enorme barra de chocolate branco não resolva!
Imagem: store.britneyspears.com

A construção traz todos os aromas queridos e confortáveis: marmelada, bolinho assando, chocolate branco, frutinhas azedinhas...  Isso explica um carinho enorme, uma legião de fãs ávidos, dezenas de edições limitadas e vários flankers. Fantasy funciona, vira assinatura. Como professora universitária que sou, afirmo que, pelo menos uma aluna de cada classe 'veste' Fantasy nas minhas aulas - repito, de janeiro a janeiro!
Como não sou fã absoluta, mas também não renego este ícone, tenho uma versão simpática/baratinha, uma edição que vem numa bolinha estilo Pokemon que encaixa um Fantasy e um Midnight Fantasy de 15ml cada - o suficiente para me lembrar deles de vez em quando. Mais que isso precisaria de insulina!
 Imagem: www.totalmegastore.com.br (só achei essa imagem!)

O que tem de gente que fala mal desse perfuminho... não dá para contar! ("Cheiro de piriguete", "Carne de vaca", "Coisa de pobre") mas ao mesmo tempo o sucesso de vendas é tanto, que todos os argumentos vão por água abaixo - haters gonna hate! 
Fixação gigantesca, projeção sem comentários: por vááários metros! O EDT não tenho maiores informações, reza a lenda que a versão comercializada no Brasil foi suavizada - o que não sei se procede. O EDP é bombástico!

It's Britney, bitch! Vida longa à Britoca!!! 



Este post contém link do parceiro Glio (www.glio.com)

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

É bonita, é bonita, e é bonita!!! - La vie est belle de Lancôme - Resenha

Se a tendência olfativa atual é gourmand, sejamos gourmands com classe! Que seja a fina gulodice de confeitarias e chás das cinco, de biscoitos amendoados/amanteigados e pequenas tortas para apreciar com os cinco sentidos... La vie est belle captou um desejo coletivo, e a Lancôme realmente merece os louros: tem tudo para ser ícone!
Uma vida bela tem doçura, cremosidade, e um 'tiquinho' de amargor, afinal, quem nunca enfrentou uma má surpresa?
Abre efervescente e ardido, em frutas vermelhas (seria blueberry?) seguindo um caminho floral untuoso de flor de laranjeira, magnólia e jasmim. Mas acredito que são as notas de fundo que cativam tanto: um amendoado especialíssimo, adocicado e quente, com calda de chocolate... aquele cheiro maravilhoso que a gente sente quando passa na frente da barraquinha de castanhas pralinê. A baunilha entra em cena, mas não é tão perceptível, ela é uma das notas dessa sinfonia caramelada/amendoada. Tem algo do YSL Cinema no La vie est belle, o mesmo coração cálido e adocicado.
Mas, aí vem a parte interessante: volta e meia 'flashes' florais e frutais aparecem em meio ao drydown doce, prolongando a sensação instigante de novidade. É festivo, não linear e espirituoso.
Imagem: www.lancome.com.br

Se vai virar lenda? Já virou! Até porque o marketing foi preciso: "livre-se das amarras da sociedade" (mas uma sociedade que você faz de tudo para pertencer: refinada, elegante, que frequenta belos bailes e veste alta-costura). Julia Roberts empresta seu sorrisão (ão, muito ão) para essa campanha digna de blockbuster...
Outro ponto certeiro é a preocupação com a longevidade e projeção, 8 horas de vida bela, linda, maravilhosa e doooooce, muito doce! É curioso ver como as pessoas buscam perfumes que 'durem' bastante, mesmo sob um calor absurdo de 38°C, e a combinação do La vie est belle manda muito bem em durabilidade. Acredito que estará em muitos dos embrulhos do Natal de 2014!



Lógico, já entrou na fila dos copiados, replicados e plagiados... O que está pipocando de gourmands nessa proposta 'fina-rica-adulta' não é brincadeira!


segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Porque sim! - Sì de Giorgio Armani - Resenha

Sabe mulher teimosa? Daquelas que chamam o gerente na loja, pedem para o garçom remontar o prato ou para o cabeleireiro refazer todo o penteado? O Sì de Giorgio Armani foi feito sob medida! Rá!
Tem um dulçor agressivo, de licor de cassis e maracujá maduro (ainda que não apareça na pirâmide olfativa), e, curiosamente mantém essas notas de saída por um tempo prolongado. As notas de fundo seguem essa tendência da segunda década do século XXI: madeiras quentes e toneladas de baunilha. Praticamente uma sobremesa de restaurante da moda, para tirar foto e postar no Instagram... 
Não me agradou de cara (e coração), até porque esse nome tão assertivo poderia trazer algo mais inovador, mais "sim senhora"... Mas é uma opção para noites de diversão, quando um gourmand guloso-aparecido é bem vindo, e até mesmo esperado. Se você é uma formigona com delírios de riqueza e grandeza, se joga no Sì!
Duração e projeção expressivas (8 horas, em pele seca e pH baixo).
Imagem: http://www.giorgioarmanibeauty-usa.com/Si-Eau-De-Parfum

PS - Achei que Cate (Galadriel) Blanchet não combina com a propaganda do Sì - mas admito que ficou de extremo bom gosto!

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Mil e uma noites - Elie Saab Le Parfum Intense - Resenha

Um dos melhores âmbares que já senti... (se não o melhor!) De um calor resinado, cheio de refinamento, e, em relação ao ES Le Parfum, o Intense é mais 'arábico' por assim dizer, abrindo mão da base em baunilha para adicionar mel. O resultado? Uma nobreza, um requinte... hummmm
A parte floral é clássica: rosa branca e flor de laranjeira, num caráter mais seco e 'abafado' - justificando o Intense do nome. Gosto quando a flor é interpretada em outras versões, que vão além do bouquet fresco e aberto, pois ganha personalidade e distinção.
Imagino um lindo palácio no oriente, onde a princesa em seu quarto, em meio a sedas e brocados, aprecia, lânguida, o calor dourado do fim de tarde. À noite haverá um banquete, mas a expectativa e a preparação para a festa são melhores que a própria festa. Na penteadeira, o frasco - e que frasco!- de Elie Saab Le Parfum Intense aguarda seu momento.
Projeção incrível (É o campeão de "Que perfume maravilhoso é esse?"), e fixação idem - uma alegria para peles secas e pH baixo. Mas uma recomendação: usar de preferência quando os termômetros indicarem menos de 20°C!


Imagens: www.eliesaab.com

domingo, 23 de novembro de 2014

Dama ou Curinga? - Jeu d"Amour de Kenzo - Resenha

Se fosse resumi-lo a uma frase seria: "a tuberosa domesticada". Esqueça Poison, Fracas ou Truth or Dare, que a tuberosa dá um medo danado, parece planta carnívora prestes a te devorar. Aqui ela lembra que é flor, e não gente... e assim, não assusta ninguém!
Já na borrifada inicial, antes de tocar na pele aparece um frutal apetitoso, caudaloso, de fruta madura, laranja em suco escorrendo pelo braço e alguma infusão. Segundos depois a tuberosa mostra sua face leitosa, como jardim em fim de tarde de verão, cheio de alegria, no contraste entre o sol morno e a brisa gostosa. Para 'amarrar' tudo isso, um sândalo calmo, quase travesseiro. 
Por que curinga? Acho que ele será bem vindo no verão e no inverno, não é aquele floral intoxicante, vai mais para um lado romântico, caminhando para o sensual - mas só de 'alcinha escorregando no ombro', não o strip tease de tuberosa que estamos acostumados. Agradará até no trabalho, se o ar-condicionado assim permitir. 
Outro ponto positivo: pela 'cremosidade' de flor branca, ele segura bem - 6 horas bem vívidas - e se acerta com pH ácido e neutro, que costuma evaporar os florais com muita rapidez. 
Campanha publicitária esperta - voltada ao público jovem e coquete - e frasco bem desenhado, que segue a linha Amour, mas tem cara própria. 
Entrou para a lista!

Imagem: http://www.kenzoparfums.com/pt/collection-perfumes-de-mulher/kenzo-jeu-damour

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Because I'm happy - Mesa redonda de novembro

O tema da mesa redonda desse doce novembro é "Perfumes Monty Python: aqueles que te deixam de bom humor". Eu levo um tempinho pela manhã para escolher o PDD, conforme a vibe que eu acordo, e, dependendo do dia preciso de uma dose extra de ânimo. Nessa hora, conto com meus perfumes "ha-ha-ha", uma alegria instantânea, seja pela sensação de aconchego, de euforia ou de frescor mesmo. 

Brooklyn - Bond nº 9
Quando passo o Brooklyn, dá vontade de sair louquinha pela rua, dançando que nem o David Bowie e o Mick Jagger no clip de "Dancing in the street". Tem gim, pomelo e cipreste, um frasco lindo de viver, colorido e grafitado. Chama todo mundo - e vem dançar na rua! "Calling out around the world, are you ready for a brand new beat? - Summer's here and the time is right, for dancing in the street" - para dias em que o despertador dá susto, é a minha melhor pedida.  

Imagem: http://www.bondno9.com/whats-new/new-collections/new-fragrance-launch-brooklyn


Happy - Clinique
Nome clichê auto-explicativo, que cumpre o prometido. Me deixa faceirinha, uma laranja azedinha, aquela do suco para o café da manhã. Deixa uma atmosfera de alegria e ânimo ao longo do dia, que vai sofisticando a medida que a rosa branca aparece. Certeiro.
 
                                   Imagem: http://www.clinique.com.br/products/1579/Perfumes/Clinique-Happy/index.tmpl


Double Fraicheur - Molinard
Quando você acorda, sai do quarto geladinho pelo ar condicionado, abre a porta e sente aquela lufada de ar quente, já sabe que o dia promete 'derreter' geral. Esse vetiver ao quadrado, com sumo de mexerica (sim, aquela bergamotinha bem miúda e amarga, que tem a casca finiiiinha) e patchouli terroso te dá sensação de banho de cachoeira, no meio do mato. Para dias escaldantes, dá um up imediato.

Imagem: http://www.molinard.com/en/familles/the-freshness.48.html


Pink Sugar - Aquolina
Esse é a alegria para dias frios, que o edredom quentinho te faz ficar com tédio de sair trabalhar - afinal as contas não se pagam sozinhas! Passa o Pink Sugar no cachecol, e fique num mundo colorido de caramelo, fios de açúcar, bengalinhas de alcaçuz e bala Frumelo (quem lembra?). Bom humor em doses Willy Wonka!!!
Imagem: http://www.pinksugar.it/ita/prodotti/pinksugar/


Midnight Fantasy - Britney Spears 
Ah, a polêmica Britoca! Ok, ela deve sofrer da síndrome de Peter Pan, e seus fãs também... Mas quem nessa vida quer deixar de assistir Sessão da Tarde tomando Fanta Uva pra enfrentar chefe chato e preencher formulários? O Midnight é um perfume sour, azedinho que fica doce, divertido e sapeca. Está batido? Está. Mas é quase um "Lagoa Azul": tá passando, vou assistir, já sei a história de trás para frente... e ainda me divirto!
 Imagem: http://store.britneyspears.com/view-all/midnight-fantasy-anv-3-3-oz-perfume.html


Cabotine - Grès
Um dos chypres clássicos, contente e otimista - a cara da primeira metade da década de 1990, quando a gente achava que ia conquistar o mundo com um XT 286 e um modem de 56k. Acho que é justamente essa nostalgia que me faz bem, era o cheirinho da minha irmã mais velha, seus topetes e roupas da moda. Tem frescor de saudade, lembro muito do Spirit of Flowers d'O Boticário quando sinto o Cabotine, que leva ameixa, flor de laranjeira, tuberosa, jasmim... um jardim inteiro! 

Imagem: http://www.fragrancex.com/products/image.html?sid=CAEES33


Esses blogs também têm listas incríveis de perfumes que dão aquela alegria no nosso dia: 

A louca dos perfumes:http://aloucadosperfumes.com/  
Le Monde est Beau: http://lemondeest.blogspot.com.br    Helen Fernanda: http://www.helenfernanda.com.br
Perfume Bighouse: www.perfumebighouse.com 
Van Mulherzinha: www.vanmulherzinha.com  


E você? Conta qual o seu perfume "bom humor", que te deixa igual esses dois ingleses figuríssimas dançando pelas ruas!


quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Fã Clube - Fan di Fendi Leather Essence - Resenha

A grande maioria das mulheres adora bolsas e sapatos, muitos, que combinem entre si, com o guarda-roupas e com o humor do dia. Se for uma bolsa de bom couro e design moderno, a adoração será ainda maior - santo cartão de crédito!
O Fan di Fendi Leather Essence tem a nota de couro evidente - macio, clarinho, como luva de pelica - que já aparece junto com a entrada cítrica de tangerina madura e suculenta. As belas fivelas da bolsa da última moda são representadas por uma rosa metálica, pouco romântica, mas muito chic e rica. O couro vai aos poucos 'vestindo' e assentando na pele, em uma fusão com baunilha resinada, que me lembrou (ainda que de longe) o YSL Cinèma. 

Imagem: http://www.fendi.com/ii/en/collections/fragrances/fan-di-fendi/leather-essence#!/


Se parece com outros 'couros' por aí? Me remeteu ao couro presente no Poême de Lancôme, delicado e macio, enquanto o Kelly Caleche de Hermès é um couro mais sequinho - e não menos elegante!
Só esqueça o couro preto fetichista de chicotinhos e afins - Leather Essence é muito distinto.

Fixação boa - mas nada extraordinária - 6 horas em pH 5/6. Projeção média, daquela que se faz notar, mas sem grandes arroubos, o que me agradou muito. Só não casou bem com o calor, melhor levar essa bela bolsa passear de abril a setembro.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Flor em pó - Flower By Kenzo - Resenha

Esse tem discussão, viu? Vamos fomentar a desordem, em um diálogo meio esquizofrênico: 

Eu 1 - AMO o Flower by Kenzo, 
Eu 2 - Tem quem detesta e diz que é cheiro de velha!
Eu 1 - E gosto de usar especialmente no verão! 
Eu 2 - Como assim, no verão?
Eu 1 - Por quê? Qual o problema?
Eu 2 - Por causa do atalcado dele, oras!
Eu 1 - Mas é justamente esse o seu encanto!!!

Ah, me deixe! Sou fã de talco no calor, a sensação de limpeza seca e asseada, à prova da descompostura causada pelo suor (acho que o Morillas é o mestre dessa sensação). E o melhor: ele fica, o dia todo, na mesma classe de quando aplicado. 
A papoula solitária, o frasco da "onda japonista" da moda. Uma das melhores interpretações do opoponax, que consegue sem domado - um contraponto ao Opium EDT. Violeta - lógico, atalcada - e incenso sequinho, daqueles em pastilhas, não os de varetinhas. Me causa bem estar, como uma ótima companhia. 


 Imagem:http://www.kenzoparfums.com/pt/collection-perfumes-de-mulher/flower-kenzo


Teste, compreenda, afinal ele é uma graça... Está quase em seu début, veja só, e continua sucesso! E mesmo não sendo forte-power-absurdo, tem uma penca de desafetos também (why?). Então como a polêmica é grande, pelo menos encontre seu lado! 

Estou do olho no Flower Parfum, testei e amei de paixão, tem mais baunilha e resina, levemente 'abafado', morno e intimista. Hummmmm

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Rebeldia Coxinha - Lacoste L!VE - Resenha

A Lacoste não arrisca muito: roupas e perfumes esportivos, preppy e jovens. O L!VE, embora as peças de marketing tenham ares de rebeldia, falta uma real ousadia, o trunfo aqui é a versatilidade. Pega carona no Polo Ralph Lauren Blue, mas sem pepinos, mais limão e o touch aquoso-gel-de-cabelo - fresquinho e comportado.
No calor absurdo, de 38 graus que estamos enfrentando, é uma boa ideia, mas não pense em originalidade, fica sempre no ar aquela sensação: "já senti esse cheiro antes"... 

 Imagem: www.lacoste.com/en/lacoste_live_live_fragrance.html

Considerando que uma camisa pólo de piquet não seja a coisa mais original para vestir, mas tem versatilidade e adequação ao calor, o L!VE vai nesse caminho. Não é necessariamente criativo, mas acho que será o primeiro perfume de muito garoto por aí, afinal, nesse ponto a publicidade da marca foi esperta: bagunça geral no escritório!!! (mas indo além dos rótulos: o frescor é bastante compartilhável)
Em pH ácido permanece por quase quatro horas (deve ser o bom casamento com o limão), mas em pH alcalino sumiu em uma hora e meia. Nesse caso, melhor passar na roupa.


segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Mesa redonda - Outubro - Perfumes descontinuados

Mais uma vez nossa mesa redonda, um tema mais lindo que outro... o privilégio de trocar figurinhas perfumadas! Esse outubro rosa e cheiroso tem aura de saudade: o  tema da vez são os descontinuados, perfumes que sabe-se lá por quê os fabricantes tiraram de linha, e deixaram órfãos por aí. Sou uma dessas órfãs, e a saudadinha bate quando penso em um desses extintos. Então, se eu pudesse trazer de volta ao mercado alguns perfumes, seriam eles: 


Aqua di Aqua - Marina de Bourbon
Floral dos bons, com um dos melhores sândalos femininos no coração. Duração perfeita, que começava o dia e seguia até a noite, sem perder a  classe. Chic, fino... ainda tenho um fundo de frasco, guardadinho no escuro do armário, torcendo para que não oxide, só para matar a saudade! Além do mais, foi o primeiro presente do namorado que se tornou marido!


Imagem: www.fragrantica.com



By - Dolce e Gabbana (masc/fem)
Por quê, céus, por quê? Essa dupla tudo-de-bom poderia voltar, não? Zebrinha e Oncinha selvagens, lindos, os melhores couros que já senti, almíscar bem animálico, gengibre ardido. O masculino tinha uma lavanda ótima, que contrastava com o 'quente' do fundo. Ambos sexies, só que longe da canastrice. 




Imagens: www.fragrancex.com




S - Escada
Esse já declarei minha paixão. Amêndoa e avelã - sem pralinê, só tostadinhas. Frutal suculento com madeiras claras, bem resolvido e charmoso. O CH bebeu nessa fonte, tenho certeza, só adicionou camurça e canela. Achei um tester dando sopa e arrematei, para ter certeza que não vou ficar sem!


Imagem: www.fragrancex.com



Ops! Azul - O Boticário
Esse aqui é memória olfativa/afetiva minha... Quando eu era adolescente era meio boyish, e a modinha eram perfumes compartilhados, unisex. Do trio Ops! (que só persiste o rosa, e beeeem mais diluído) o azul foi o meu escolhido, usava nas festinhas, com camisa e gravata - veja só a ousadia fashion. Havia inclusive um trio de miniaturas, muito fofo. Lembro de ser um amadeirado leve, super apropriado para o friozinho do sul e dos bailinhos de dançar abraçadinho (aqui peço licença para um momento nostálgico-cafona!).


Imagem: www.fashionbubbles.com


Rush - Gucci
Esse é descontinuado por aqui... Mas ainda dá para garimpar e arriscar em sites mundão afora. Sinteticão, meio maluco, cheiro de salão de beleza: shampoo aquecido pelo secador! O patchouli mais nonsense que já senti. Não fica: GRUDA! 


Imagem: www.dezire.org

Masss, além de trazer de volta os descontinuados, eu adoraria que as empresas não sacaneassem nossos narizes e corações reformulando, aguando, mudando notas e "sinteticando" perfumes... O que virou o Dior Addict EDP? Sun Moon Stars? Ou mesmo os Boticas cada vez mais chazinhos? Isso me deixa tão chateada, afinal, perfumes evocam sentimentos, memórias, não é mesmo?

E você? Quais perfumes ficaram só na saudade e você gostaria que voltassem?
Esses blogs-arte também têm uma lista dos descontinuados que ficaram na saudade! Dá uma olhadinha:

A louca dos perfumes:http://aloucadosperfumes.com/  
Le Monde est Beau: http://lemondeest.blogspot.com.br   
Helen Fernanda: http://www.helenfernanda.com.br
Perfume Bighouse: www.perfumebighouse.com 
Van Mulherzinha: www.vanmulherzinha.com  





quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Soap Opera - Ecoute Moi de Molinard - Resenha

Pegue um sabonete daqueles bem tradicionais, que vêm embrulhados em uma fina camada de papel de seda em latinhas ou caixinhas - estilo James Bronnley Original, sabe como? - leve ao chuveiro, esfregue nas mãos e faça espuma, muita espuma. A sensação confortante da limpeza, o cheirinho que sobe junto com o vapor, as toalhas macias esperando para lhe enxugar... Tem passarinhos cantando, um céu azul inicia o dia, a primavera recém começou. Um banho 'daqueles', que abre o dia e desperta - sem o susto do despertador!
Écoute Moi da Molinard (sim, também fui acometida pela febre Molinard, graças à dica esperta da Dâmaris, do Village Beauté. Adorei a dica, e o serviço da Shine foi 10)! é tudo de limpo, imaculado, é amor de novela. Estou 'in love' com esse sabonetinho aristocrático!
Muito néroli, abertura cítrica, que dura alguns segundos e pinica o nariz. Depois segue bastante linear: aqui o cravo não briga com a rosa, eles se abraçam e passam o dia todo juntinhos! Sensação realmente assabonetada, que acompanha muito bem durante o dia, mantendo a impressão de banho tomado.
Acredito que se acerta bem com pH baixo, e para perfumar a roupa, é simplesmente fantástico! Projeção delicada e fixação de 7 dignas horas, e ainda mantém por mais um tempo, rente à pele. Apaixonei! 

http://www.molinard.com/fr/articles/ecoute-moi.592.html